Catalogando autoridades: nomes japoneses

Já faz um tempo que temos que catalogar autoridades por aqui, e uma das coisas mais complexas é catalogar nomes japoneses.
Eu estou estudando a língua japonesa, mas ainda tenho muitas dificuldades em ler os kanjis e tal, principalmente porque quando se trata de nomes pessoais os kanjis podem ter leituras variadíssimas!

But… Wait!
Eu consegui criar 2 táticas simples para catalogar os nomes sem ter um conhecimento profundo em kanjis.
Em todos os casos sempre usarei o VIAF como fonte positiva dos dados, ok?

 

1. Usando os dados de ISBN na WorldCat

Se o livro tiver ISBN tudo fica mais fácil. Verifique o número sempre no verso do livro e procure-o na WorldCat.

 

a. Confronte os kanjis do título que estão na folha de rosto do livro com o registro encontrado, pra confirmar que o livro e o registro são correspondentes.

jp1

 

b. Ok, o livro e o registro são correspondentes. Agora é só pegar o nome dos autores, pesquisar no VIAF e importar as autoridades para o sistema.

jp2

 

c. No VIAF, eu procuro sempre primeiro os resultados da Library of Congress dos Estados Unidos, depois pelo país de origem e às vezes a Wikipédia.

jp3

 

2. E se o livro não tiver ISBN? O que eu faço?

O nosso acervo tinha bastante livros antigos em língua japonesa sem ISBN, mas há uma forma de conseguir transliterar os nomes utilizando o Google Tradutor e o seu smartphone!

 

a. Para começar, você precisa ter um smartphone e instalar o Google Tradutor.

Screenshot_2014-11-12-10-46-39

 

b. Abra seu aplicativo e escolha as opções Japonês -> Português (ou inglês, aqui tanto faz).

Screenshot_2014-11-12-10-49-16

 

c. Tire uma foto da página de rosto, e espere o aplicativo escanear. Com a imagem escaneada selecione os kanjis que você quer transliterar.

jp4

 

d. Clique na tradução e observe que abaixo dos kanjis vem a transliteração.

jp5

 

e. Busque o termo transliterado no VIAF e importe o registro.

viafPara facilitar a busca, eu instalei as configurações de um teclado japonês no meu computador, e conforme eu digito o termo na busca do VIAF o romaji se transforma em hiragana e kanji. Mas aí é um passo mais avançado… um dia, quem sabe, eu explico huahauh

Qualquer dúvida, estou à disposição! 😉

Anúncios
2 comentários
  1. Ual! Que complicado. E quando a pessoa não sabe nada de japonês, como faz? Por isso eu amo o compartilhamento de conhecimento! Feliz que você tenha voltado a postar…

    • Laura disse:

      Olá Mariane!
      Obrigada pelo comentário 🙂
      Eu acho realmente difícil quando a pessoa não tem conhecimento nenhum de japonês… o meu conselho para isso é procurar algum amigo que saiba ler e possa ajudar.
      Infelizmente, não é uma língua muito fácil para se catalogar.

      Obrigada pela visita!!
      Fico feliz em saber que tem gente que acompanha as postagens haha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: