arquivo

Arquivo mensal: abril 2010

por Agência Senado

Dentro de no máximo 10 anos, deverá haver uma biblioteca escolar em cada instituição de ensino do país, pública ou privada. A obrigatoriedade está prevista no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 324/09, cujo relator foi o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que foi aprovado em decisão terminativa, nesta terça-feira (13), pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

Segundo o projeto, considera-se biblioteca escolar a coleção de livros, materiais videográficos e documentos registrados em qualquer suporte destinados a consulta, pesquisa, estudo ou leitura. No que diz respeito ao acervo de livros, deverá haver pelo menos um título para cada aluno matriculado. E os sistemas de ensino, ainda de acordo com a proposta, promoverão “esforços progressivos” para alcançar a universalização das bibliotecas escolares.

– Este projeto só tem dois defeitos: demorou tantas décadas para ser aprovado e estabelece um prazo longo para sua execução. Os sistemas de ensino poderiam reduzir de 10 para cinco anos o prazo de instalação das bibliotecas – sugeriu Cristovam, ao apresentar seu voto favorável à proposta.

Em seu texto, o relator lembrou que o Brasil tem uma biblioteca pública para cada 33 mil habitantes, enquanto a vizinha Argentina tem uma biblioteca para cada 17 mil habitantes. O senador citou ainda pesquisa promovida pelo Ibope, segundo a qual o brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano – cifra que cai para 1,3 quando se excluem os livros didáticos. Nos Estados Unidos e na França, a média é de 10 livros por ano.

Entre os motivos para o baixo índice de leitura no Brasil, Cristovam mencionou a existência de 10% de adultos analfabetos e o elevado custo dos livros. Citou ainda dados do Ministério da Educação, segundo os quais 68% das escolas públicas do país não dispõem de biblioteca.

– A verdade é que as classes educadas do Brasil já estão chegando à época digital, com os e-books, enquanto as camadas sem acesso à educação ainda não entraram no tempo de Gutenberg, quase 600 anos depois que ele inventou a imprensa – comparou.

Ao apoiar o projeto, o senador Romeu Tuma (PTB-SP) elogiou iniciativas da própria sociedade no sentido de estimular a leitura, como a implantação de bibliotecas informais em pontos de ônibus e até mesmo em um açougue, como ocorre em Brasília (DF). Por sua vez, o senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) elogiou a realização da Feira do Livro de Porto Alegre, que recebe cerca de 700 mil visitantes a cada ano, e pediu que as novas bibliotecas escolares também ofereçam acesso à comunidade – e não apenas aos alunos.

Dezenas de bibliotecárias e de estudantes de Biblioteconomia que acompanharam a reunião aplaudiram a aprovação do projeto. Na opinião da diretora da Biblioteca Central da Universidade de Brasília, Sely Costa, que compareceu à reunião, este pode ser considerado um grande passo em direção à maior difusão da leitura e do conhecimento.

– É uma vitória enorme para um país como o nosso. Seremos um dos poucos países em desenvolvimento a contar com uma lei que torna obrigatória a existência de bibliotecas nas escolas – afirmou Sely, que defendeu ainda a oferta de cursos a distância para tornar possível a formação de um maior número de bibliotecários em todo o país.

Marcos Magalhães / Agência Senado

Mês passado li em meu Reader, um post sobre Ex Libris (pela Design*Sponge, recomendo este blog!!!) e vou repostá-lo aqui, traduzido (claro), lembrando que a idéia pertence à Amy Merrick, bem como todas as fotos postadas aqui! O texto foi levemente adaptado, ok? O original está aqui: http://www.designspongeonline.com/2010/03/made-with-love-bookplates.html

Para quem não sabe,

Ex libris é uma expressão latina que significa literalmente dos livros empregada para determinar a propriedade de um livro. Portanto, ex libris é um complemento circunstancial de origem (ex + caso ablativo) que indica que tal livro é “propriedade de” ou “da biblioteca de”.

A inscrição pode estar inscrita numa vinheta colada em geral na contra capa ou página de rosto de um livro para indicar quem é seu proprietário. A vinheta em geral contém um logotipo, brasão ou desenho e a expressão “Ex libris” seguida do nome do proprietário. É possível que contenha um lema, ou citação.

Fonte: Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex_libris)

É também uma forma de indicar às pessoas que o livro pertence a você, e lembrá-las para quem deve devolver! hehe

O que você precisa:

  • Impressora
  • Papel
  • Cortador de papel: tesoura, régua, estilete, guilhotina etc.
  • Cola bastão, fita dupla face, ou algo do tipo

– Faça o download e imprima (em alta resolução) o modelo de sua escolha:

– Use as guias de marcação e corte as partes do modelo. A guilhotina pode fazer isso mais precisamente, mas pode-se usar tesoura, estilete, régua, etc.

– Minha impressora tem a tendência de brincar com a escala de cor, quando se imprime, então sinta-se livre para configurar a página, conforme necessário, se a sua impressora faz o mesmo.

– Use uma leve camada de cola bastão ou utilize as fitas dupla face, cole seu Ex Libris no centro do verso da capa do livro.

– E claro, não se esqueça de escrever seu nome abaixo da inscrição Ex Libris!

Recebi faz um tempo, via @abrapira, essa dica de como encapar um livro sem colar fitas adesivas, evitando danificar o livro.

Confiram aí:

Uma forma eficiente de perpetuar aquele seu livro bacana que você não empresta nem pro seu melhor amigo é usando a “técnica da capa personalizada”.

Vantagens

  • rápida – com treino, em menos de 2 minutos você encapa seus livros;
  • reversível – nada de cola ou fita adesiva que poderiam danificar o seu tesouro
  • econômica – dá para encapar livros com menos de R$1,50

Bem, vamos aos materiais e o passo a passo:

  • Materiais
    • Plástico grosso transparente
    • Estilete
    • Superfície para o corte
  • Passos
    1. Corte um retângulo de plástico grosso, excedendo as dimensões do livro aberto em 8 cm na altura e 10 cm no comprimento.
    2. Efetue os cortes de estilete conforme a figura
    3. Com a capa pronta, faça esta “abraçar” o livro
    4. Aguarde alguns minutos até o plástico se adaptar ao livro

Este vídeo explica melhor o processo:

Fonte: http://ideias.empaginas.com/ideias/como-encapar-um-livro

E aí? Curtiram?